Metanalysis S01E06 – Julho de 2020

Publicado por Álvaro França em

Metanalysis S01E06!

Saudações jogadores!

Bem vindos mais uma vez ao Metanalysis! A sua análise mensal do metagame do Magic Online! Vamos mais uma vez analisar o metagame mensal, dessa vez do mês de julho!

Antes de mais nada, vocês sabiam que estamos no Instagram? Segue lá! Só clicar aqui ou buscar por @mind.gears no próprio aplicativo! 

Sem mais delongas, vamos ao que interessa!

No mês de junho, vimos de início alguns aggros ganhando destaque e conseguindo lidar bem com os midranges que vinham dominando. No decorrer do mês, mais precisamente a partir da segunda quinzena, a carta Bonder’s Ornament teve seu drop hate aumentado no Magic Online, o que fez com que os Trons voltassem à ativa. Findamos o mês com expectativas de manutenção na quantidade de Trons, e possível subida na presença dos midranges azuis para combatê-lo. Entretanto, no fim de junho, ainda não tínhamos em mente a possibilidade de uma reviravolta como a que ocorreu em julho. Vamos às análises para entendermos o que aconteceu!

Seguimos o confinamento e os jogadores seguem destruindo no Magic Online!


Julho de 2020

Vimos na segunda quinzena do mês de junho uma ascensão do Tron devido a maior popularidade e menores preços da carta Bonder’s Ornament. Assim, alguns aggros que vinham fazendo melhores resultados começaram a cair em número. Dessa forma, os midranges azuis que andavam mais tímidos voltaram a aparecer com mais frequência. Vimos também um arquétipo relativamente novo, o Monarch Tron, começar a fazer bons resultados e aparecer como um arquétipo de forte potencial, depois do longo hiato que o seu predecessor Snow Tron sofreu após o banimento de Arcum’s Astrolabe. Assim, começamos o mês de julho, com expectativas nas novas listas, no Tron e no retorno de alguns midranges azuis.


Primeira Quinzena de Julho

Bonder's Ornament | Ornamento dos Vinculadores - Magic: the ...

No evento do primeiro sábado do mês, tivemos a manutenção do que observamos no último evento de junho. Contamos com o Tron como sendo o arquétipo mais presente do evento, seguido do Burn e do UB Next Level Drops. Apesar das quatro cópias do Tron presentes no Top 8 (sendo um o Monarch Tron, nas mãos do billster47 e única cópia do arquétipo no evento) o campeão foi um GWr Slivers, nas mãos do brasileiro HunterBR, que fez um split na final com um Affinity. Vale ressaltar que todos os Trons convencionais no top 8 foram pilotados por jogadores já conhecidos por fazerem resultados com esse arquétipo (A_AdeptoTerra, Hampuse1, Hellsau), tema que pretendo abordar mais adiante.


No dia seguinte, 5 de julho, como resposta ao metagame de sábado, tivemos um evento mais voltado aos midranges azuis. O UB Next Level Drops se destacou como arquétipo mais presente do evento, e apareceu em duas posições do Top 8. O Tron foi o segundo arquétipo mais presente do evento, mas só apareceu na 15ª posição. Seu piloto era, novamente, o A_AdeptoTerra, já conhecido pelos bons resultados com o arquétipo.

MTG Deck Mono Green Pauper para o Magic Online por Tabata Marqs

O terceiro arquétipo mais presente do evento foi também o campeão. Nas mãos do SacredDevil, o Stompy acabou tomando a primeira colocação do segundo lugar, um MonoG Walls Combo, arquétipo que muitas vezes comentei nos nossos artigos ser de grande potencial no metagame. Outro Stompy estrelou nesse Top 8 nas mãos do brasileiro bnpbnp, em quinto lugar. Mais um brasileiro, em 7º lugar, Amoras27 também deixou sua marca pilotando o já conhecido BW Pestilence, seu petdeck. Por último e não menos importante, o também brasileiro beicodegeia, em 8º lugar, marcou a presença pilotando o também já esperado MonoU Delver. 

O metagame da primeira semana ficou bem dividido. Apesar da boa presença do Tron, os aggros foram não só os campeões dos eventos, mas também marcaram presença em várias outras posições do Top 16. Esse é um comportamento mais parecido com o que vimos na primeira quinzena do mês de junho, e pode ser uma resposta dos jogadores ao metagame mais lento que vimos na segunda quinzena do mês.


Banned - neonexus

Na semana seguinte, uma notícia bombástica abalou a comunidade. A Wizards of the Coast, em seu perfil oficial no Twitter, comunicou que no dia 13 de julho haveria uma atualização da lista de Banidas e Restritas de alguns formatos, incluindo o formato Pauper. Para quem perdeu, tivemos dois artigos no nosso blog a respeito desses banimentos, um antes e um depois dos banimentos ocorrerem. Caso tenha alguma dúvida a respeito disso, dá uma conferida lá!

A notícia criou uma série de especulações nas comunidades, mas a maioria acreditava que pelo menos o Tron sofreria um enfraquecimento, e que muito provavelmente Mystic Sanctuary seria banido. Alguns jogadores entraram nos eventos dos dias 11 e 12 de julho já pensando nos banimentos que ocorreriam no dia 13, o que gerou alguns resultados um tanto inusitados nesses eventos.

DECK MONO RED STANDARD MAGIC ARENA - BURNMANA

Tanto no dia 11 quanto no dia 12, o campeão foi, novamente, um aggro. No dia 11 vimos pela primeira vez em muitos meses um Goblins como campeão. A lista já vinha fazendo alguns resultados nas ligas semanas, chegando a estrelar nos 5-0’s semanais nas mãos do brasileiro Carvs. Entretanto, nos Challenges, ela não parecia fazer tanto sucesso. Pelo menos até agora. O arquétipo encaixou-se com perfeição no metagame. O evento contou com apenas uma cópia do mesmo, e essa única cópia foi até a final, reduzindo os efeitos de variância gerados quando temos grandes quantidades do mesmo arquétipo em um evento, e aumentando a sua confiabilidade frente ao metagame. 

Neste mesmo evento, o arquétipo mais presente foi o UB Next Level Drops, seguido do Tron em segundo. Ambos também tiveram representatividade entre os melhores, tendo o UB Next Level Drops ocupado o quarto lugar, e o Tron ocupado o sexto e sétimo lugar (nas mãos do Heisen01 e do mlovbo). Neste evento tivemos ainda um brasileiro, o _Batatutinha_ em oitavo lugar pilotando um Stompy. 

É importante salientar que tivemos outras várias cópias de Tron no Top 16 deste evento, inclusive de Monarch Trons nas mãos do Mathonical e do billster47. 


No dia 12, um Affinity dividiu o pódio com um Tron, arquétipo mais presente do evento e pilotado novamente pelo Heisen01. Tivemos ainda mais um Tron em 8º lugar nas mãos do, novamente também, Hampuse1, e um Monarch Tron em 7º lugar, nas mãos do Mathonical, aparecendo novamente também. Notem que até então, vemos que o Tron além de não ter ganho nenhum evento, chegou às melhores posições sempre nas mãos de praticamente os mesmos jogadores.

Ainda neste evento, tivemos um Stompy em terceiro lugar, sendo também o segundo arquétipo mais presente do evento, seguido do Affinity em 3º lugar no quesito presença. Novamente, um MonoG Walls Combo apareceu no Top 8, desta vez em 5º lugar. 

MtG Art: Galvanic Alchemist from Avacyn Restored Set by Svetlin ...

Acho que, nesse ponto, podemos dar um pouco mais de credibilidade aos dados do primeiro semestre de 2020 que publicamos no artigo do mês passado. Até então, tanto o Monarch Tron quanto o MonoG Walls Combo, mostraram excelentes resultados e grande potencial, mas uma presença baixa, o que gera uma incerteza estatística para os seus dados. Conforme os meses passam e esses arquétipos mostram cada vez mais presença, essa incerteza diminui, e consequentemente, a confiabilidade em seus números aumenta.

Assim vemos que, apesar do Tron ter sido o arquétipo mais presente em metade dos eventos da primeira quinzena, e o segundo mais presente na outra metade, o metagame mostrou-se diverso o suficiente para ter quatro arquétipos diferentes como campeões dos eventos, e diversos outros estrelando em Top 8 e Top 16, com ênfase nas duas citadas no parágrafo anterior que mostraram o quanto o Pauper tem espaço para crescimento e surgimento de novas listas. 

O comportamento no geral foi linear. Os aggros mantiveram-se em alta, contrabalanceando os midranges azuis, ceifando as vitórias dos menos treinados de Tron, e praticamente extinguindo as variantes Boros no metagame.

Mas, nem tudo são flores. O dia 13 de julho veio, e com ele recebemos a atualização da lista de Banidas e Restritas do formato Pauper. Tudo virou de cabeça para baixo?


Segunda Quinzena de Julho

Com o banimento de Expedition Map e Mystic Sanctuary, alguns arquétipos precisaram ser reinventados. Outros acabaram por quase sumir, como o UW Familiars que já não era muito famoso devido a sua jogabilidade complicada e ao número de cliques excessivos que era necessário para pilotar a lista no Magic Online. Novamente vou pular os detalhes, pois os mesmos encontram-se no meu artigo a respeito dos banimentos ocorridos recentementes. O importante aqui é entender que o Tron agora começaria a jogar com listas mais lentas (e não morreria, como alguns achavam), o que da um pouco mais de chances aos aggros mais lineares como o Stompy e o GW Auras. Além disso, os midranges azuis não teriam mais a recursividade que Mystic Sanctuary possibilitava, o que os permitia bater de frente com o Tron mesmo no late game. Tivemos então o primeiro breakpoint do mês.

Blue Black Delver – Pauper

Os primeiro eventos após um banimento são sempre conturbados. Para a surpresa de muitos, no dia 18 os midranges azuis marcaram forte presença nos resultados. Em primeiro lugar tivemos um UR Skred, que mal figurou na primeira quinzena do mês mas com uma lista reinventada mostrou que ainda tem potência. Os jogadores começaram a optar por listas similares às que existiam antes do lançamento de Throne of Eldraine, usando agora Frantic Inventory pela vantagem óbvia frente a opção da época Accumulated Knowledge, e mais cartas de custo 1, como Faerie Seer para garantir a efetividade do Ninja of the Deep Hours, carta importantíssima no jogo contra Tron.

Em segundo e terceiro lugar, sendo o terceiro o brasileiro Carvs, tivemos o UB Next Level Drops, agora jogando também com Frantic Inventory, mais counters, e cartas com mais card advantage como Exclude. O arquétipo mais presente no evento, entretanto, foi o Tron novamente, contando também com uma cópia no Top 8 nas mãos do Oscar_Franco desta vez. Parece que a tentativa da Wizards of the Coast em reduzir a sua popularidade não foi muito efetiva…ou será que foi?

Um ponto importante a salientar, ainda a respeito do Tron, é que apesar da grande quantidade do arquétipo no evento, apenas um dos jogadores que normalmente optam por essa lista participou do evento (Heisen01). Seria uma coincidência?

Ainda no mesmo evento, tivemos mais um UR Skred, em quinto lugar, e fechamos o Top 8 com mais três aggros, um Affinity e dois Stompys, sendo esse último também o segundo arquétipo mais presente no evento.

O resultado parece contraintuitivo. Mesmo com o banimento, os midranges azuis dominaram o evento, deixando a maioria dos Trons em posições muito baixas, fora mesmo do Top 32. Mesmo os aggros, em menor número que o Tron, conseguiram mostrar sua efetividade nas melhores posições. Esse movimento é normal. Nos primeiros eventos após um banimento, os jogadores tendem a testar novas listas de seus arquétipos e aproveitam do fator surpresa para contornarem alguns jogos que normalmente são mais difíceis quando se conhece exatamente a lista do adversário. Mas, com a facilidade do trâmite de informação e o advento da internet, é comum que essa “selva” não dure por muito tempo e consiga se estabilizar em mais ou menos uma ou duas semanas.


MTG Modern Bogles vs Grixis Twin - YouTube

Então, no dia 19, podemos dizer que houve o segundo breakpoint do mês. Diferente do dia anterior, o Tron cai para segundo arquétipo mais presente, dando o primeiro lugar para o Affinity. O campeão do evento, entretanto, foi um GW Auras, pilotado pelo brasileiro _rEPTILIUM. O arquétipo a muito tempo não fazia resultado, mas os momentos de instabilidade no metagame são de grande ajuda para quem pilota estes arquétipos aggro mais lineares. O segundo lugar foi um Tron, pilotado pelo já citado anteriormente, A_AdeptoTerra. Um Monarch Tron também apareceu entre os oito melhores, em terceiro lugar, nas mãos do também já citado Mathonical. Neste evento, nem todos os jogadores comumente adeptos do Tron apareceram. Mas, dos que apareceram, boa parte fez bons resultados com a lista. Guarde essa informação, venho denotando esse fato durante todo esse artigo, e te garanto que tem um motivo. 

Temporal Spring | Fonte Temporal - carta de Magic: the Gathering - MTG

Nesse mesmo evento, tivemos ainda a aparição de um novo arquétipo. Este na verdade é uma variação de um arquétipo já existente mas que estava um tanto apagado devido ao potencial da trindade pré-banimentos. Estou falando do UGw Temporal Flicker. O seu piloto é o Entropy263, famoso por também jogar de Tron, mas aparentemente “virou a casaca” para um dos seus algozes. Esse arquétipo surgiu como uma variação UG, mais ou menos em meados de 2017, como uma tentativa de lidar com o que era o Tron da época. Conforme o Tron foi ganhando novas ferramentas, e os demais arquétipos do metagame também, este foi se apagando até quase não aparecer mais em eventos. Mas, com o recente banimento que garantiu um Tron um pouco mais lento e midranges azuis com menos respostas recursivas, o arquétipo pareceu fazer sentido novamente em uma lista UGw, e cravou o sexto lugar. 

Ainda sobre o evento do dia 19, um arquétipo que também andava sumido desde o banimento de Arcum’s Astrolabe e que voltou a ganhar certa força com a chegada de Bonder’s Ornament também fez Top 8. O Jeskai Blink ocupou a 7a posição nas mãos do piloto Bahia_Com_H, que acredito também ser brasileiro. Este é outro arquétipo que, apesar de cedo para afirmar, acredito ter bom potencial frente ao novo metagame.

Por último, mas não menos importante, um Stompy alcançou o 8º lugar, nas mãos do brasileiro bnpbnp. Este também foi o terceiro arquétipo mais presente do evento. 

Uma última menção honrosa ao brasileiro Leobertucci que, apesar de não ter ficado entre os oito melhores chegou quase lá, ficando em 9º lugar com um Affinity, arquétipo mais presente do evento, conforme citado antes.

Os jogadores pareciam ainda confusos. Em um evento, parece que os midranges azuis voltaram com mais força que antes, e no evento seguinte, parece que os aggros é que estão com tudo. Mas, temos mais uma semana ainda para descobrir como o metagame pode se comportar e se teremos um ponto de estabilidade!


No dia 25, temos novamente o Tron como o arquétipo mais presente. Apesar de não ter sido campeão, ocupou três posições no Top 8 nas mãos do Hampuse1, SanPop e Heisen01, além de mais uma posição do Monarch Tron nas mãos do Mathonical. Novamente vemos jogadores já conhecidos por suas escolhas de arquétipo mostrando presença, sempre com o Tron em mãos. 

O campeão dessa vez foi o UR Skred, segundo arquétipo mais presente do evento, dividindo pódio com o Tron do SanPop em segundo lugar. Todas as outras posições foram ocupadas por aggros. Dois Stompys, sendo um pilotado pelo SacredDevil, e o outro pelo brasileiro bnpbnp que ocupou novamente o 8º lugar, marcando o Stompy como o terceiro arquétipo mais presente do evento, e um Affinity, desta vez em 7º lugar.

De resto, este evento não teve grandes surpresas. Vimos uma forte tendência dos Trons, apesar de pilotados pelos mesmos jogadores de sempre, e um UR Skred que conseguiu ir contra as adversidades e tomar a primeira colocação. Uma outra colocação do UR Skred pode ser visto apenas no 15º lugar, com a maioria do restante abaixo da 32ª posição. O restante do Top 16 foi bem diverso e não mostrou nenhuma tendência clara.


Sketches: Kor Skyfisher | MAGIC: THE GATHERING

Finalmente, no último evento do mês, no dia 26, podemos perceber um segundo breakpoint. O campeão novamente foi um GW Auras, consolidando os aggros como fortes concorrentes nesse metagame e coroando o arquétipo como um dos melhores. Para a surpresa de muitos, o arquétipo mais presente do evento foi o Boros Monarch, que a muito tempo não mostrava uma tendência tão clara de subida. Outra surpresa foi que o segundo arquétipo mais presente foi o Stompy, deixando o Tron apenas no terceiro lugar em presença. 

O segundo lugar do evento foi um UB Next Level Drops, seguido do brasileiro Leobertucci em terceiro com a estrela do evento, Boros Monarch.

Em quarto lugar tivemos, novamente, Entropy263 com UGw Temporal Flicker. Aparentemente o arquétipo tem jogos decentes contra a maior parte dos aggros e consegue contornar bem os midranges azuis. 

Mais uma surpresa nesse evento, um arquétipo que andava completamente sumido apareceu no Top 8. Em sexto lugar, o MonoW Heroic conseguiu vencer as adversidades do metagame e chegar até os oito melhores. Em seguida, vemos mais um brasileiro em 7º. Pilotando também um Boros Monarch, Lindoso01 mostrou as caras novamente. 

Vemos mais uma vez a questão dos jogadores de Tron. Apenas dois dos jogadores mais comuns do arquétipo estavam presentes, A_AdeptoTerra e Hellsau. O primeiro chegou até uma boa colocação, 14º lugar, mas o Hellsau ficou abaixo do Top 32. Os nomes que fizeram mais resultados durante o mês não estavam presentes, e o evento não contou com Trons entre os oito melhores. Seria essa novamente uma coincidência? 

Importante salientar também que este evento foi relativamente maior que os demais em número de jogadores, contando com 73 pilotos contra uma média de 50 a 60 dos outros eventos do mês. Isso pode ter colaborado também para um maior número de Boros Monarchs e Stompys, mas no geral, a tendência de alta no Boros ainda parece clara.


TL;DR

O mês começou com o Tron muito bem nas paradas, mas disputando bastante as melhores colocações com aggros como o Stompy e o Affinity. Entre a primeira e a segunda quinzena do mês, tivemos o anúncio de banimentos que tornaram o Tron mais lento e acabaram por excluir a mecânica recursiva dos midranges azuis. Com isso, o meta passou por um período conturbado que aparentemente aproxima-se e um ponto de equilíbrio no último evento do mês, no dia 26, consolidando o Boros Monarch como potência no metagame, e estabilizando as listas do UR Skred, UB Next Level Drops e Tron com as considerações dos banimentos e entrada dos substitutos.

Enfim, vamos aos dados finais do mês!


Resumo Julho de 2020

metanalysis-julho-dados

Resultados Referentes aos Challenges e Showcases do MOL [1]

Sendo:
*Qt: Quantidade presente do arquétipo nos eventos analisados
*Archetype: Nome dado ao arquétipo analisado
*W: Quantidade de vitórias do arquétipo nos eventos analisados
*L: Quantidade de derrotas do arquétipo nos eventos analisados
*%W: Percentual de vitória do arquétipo nos eventos analisados (W/(W+L))
*%W_Smooth: Percentual REAL de vitória do arquétipo nos eventos analisados, corrigido com Additive Smoothing
*Qt(%): Quantidade presente do arquétipo nos eventos analisados, em percentual
*Top8s: Quantidade de vagas no top 8 ocupadas pelo arquétipo nos eventos analisados
*Top1s: Quantidade de vezes em que o arquétipo analisado foi campeão no eventos analisados

metanalysis-julho-dados-grafico

O primeiro ponto relevante nesses dados é a quantidade de Trons. Mesmo não tendo ganhado eventos e não se consolidando como arquétipo mais presente em todos os eventos, este ainda foi o arquétipo mais escolhido pelos jogadores no mês. 

O segundo ponto é a respeito do seu percentual de vitórias. Apesar de ser o arquétipo mais presente do mês, seu percentual de vitórias não foi o mais alto, e chegou até a ser menor do que no mês anterior, em que víamos um número próximo a 60%. Parte disso é reflexo do banimento de Expedition Map, mas parte também é reflexo de alguns eventos sem a presença dos jogadores típicos do arquétipo. Comentarei a respeito adiante.

O terceiro ponto relevante é a presença do Boros Monarch. Como o arquétipo só mostrou realmente uma consolidação em seu potencial no fim do mês, a sua presença em quantidade não foi das melhores, apesar de ser superior ao mês anterior. Entretanto, seu percentual de vitórias foi o maior dentre os dez mais presentes no metagame, chegando a ser superior ao número do próprio arquétipo no mês anterior. 

O quarto e último ponto relevante é o UR Skred, que sofreu queda tanto em número quanto em percentual de vitória, mas consolidou-se como o segundo arquétipo com maior percentual dentre os 10 mais presentes. Parte da motivação das quedas é, novamente, o banimento do dia 13 que fez com que abríssemos mãos do Mystic Sanctuary (que descanse em paz!).

Vamos analisar agora o Top 10 em percentual de vitórias do mês.

metanalysis-julho-dados-grafico-vitorias

Um fato que vale destacar, e é sempre comentados nos nossos artigos, é que arquétipos como o UGw Temporal Flicker e o MonoW Heroic, por ter uma baixa amostra, não devem ser considerados de forma muito fidedigna. Como são arquétipos que pouco aparecem, e um deles ainda é um arquétipo novo, precisamos de mais amostras para ter um número que retrate mais fielmente a realidade.

Por outro lado, vemos novamente o Monarch Tron que, apesar do baixo número, vem mostrando bons números assim como no mês anterior. Não são dados ideias do ponto de vista da análise estatística, mas como é algo recorrente, podemos já aumentar um pouco da confiabilidade no arquétipo. Em minha opinião particular, assistindo algumas das partidas do arquétipo, vejo grande potencial nesse metagame, principalmente agora que os midranges azuis não tem mais uma mecânica recursiva para auxiliá-los no late game.

O GWr Slivers, apesar de um arquétipo já conhecido, também não possui dados sólidos para uma análise estatística mais fiel. A vitória do HunterBR com o arquétipo em um dos eventos do mês, inclusive, é que gera boa parte desse bom percentual de vitória. Então, vamos deixá-lo também de lado por hora.

O Boros Monarch, entretanto, mostrou já números maiores que o mês anterior. Apesar de não ser nem metade do que o gigante Tron apresenta, é estatisticamente suficiente para avaliarmos que o arquétipo tem boas chances de apresentar bons resultados nesse metagame, fechando o mês de julho como o quarto arquétipo com maior percentual de vitórias (segundo, se desconsideramos os arquétipos em baixo número).

Por fim, mas não menos importante, vemos o Tron, que apesar de mais presente que todos os outros, foi o último do Top 10 em questão de percentual de vitórias. Mais uma clara prova de que o arquétipo perdeu um pouco da sua efetividade frente ao metagame.

No geral, conforme já comentei anteriormente, vemos um metagame muito diverso. Temos o Boros Monarch com boas estratégias e forte potencial nesse metagame, agora também abusando de Bonder’s Ornament para manter a força no late game, funcionando como um segundo monarca. Temos os midranges azuis, totalmente reinventados e mais similares ao que víamos antes do lançamento de Throne of Eldraine, mostrando que sua força nunca residiu apenas na recursividade de Mystic Sanctuary. Ainda temos os aggros Stompy, Affinity e GW Auras, mais fortes do que nunca, galgando com agressividade os pódios dos eventos. E por fim, temos o Tron, mostrando resultados regulares, com uma lista um pouco diferente devido ao banimento e com uma popularidade pouco abalada. E chegamos aqui ao que eu vim querendo expor em todo esse artigo.

metanalysis-julho-jogadores-tron
metanalysis-julho-jogadores-tron-dados
metanalysis-julho-meta-sem-jogadores-tron

Resultados por jogador Tron- Dados provenientes do Challenge Project [1]

Normalmente eu não trago esses números, mas como eu expus esse tipo de análise no estudo de caso que realizei a respeito do Tron, vou mostrar novamente pois tem boas informações a considerar quando tratamos de algumas polêmicas que escutamos na comunidade.

Durante todo o artigo, chamei a atenção para o fato de que sempre os mesmos jogadores apresentam resultados com o Tron. Minha intenção era preparar o terreno para essa análise final. 

Vemos nas tabelas acima os sete jogadores responsáveis por 12 posições em Top 8 das 64 disponíveis neste mês, sendo que nenhum ocupou a primeira posição. Retirei o jogador Mathonical da análise pois a sua maior presença foi com o Monarch Tron, que é uma lista diferente. Mas o mesmo vale caso façamos uma análise do Monarch Tron, a maior parte dos bons resultados estão nas mãos desse jogador.

Vi muito na comunidade, após o banimento, os jogadores dizendo que de nada adiantou retirar Expedition Map do arquétipo, que o mesmo se manteria tão forte quanto antes e continuaria “dominando o formato”. Muitos inclusive defenderam um novo banimento. Para quem leu o primeiro artigo da série Caminho para o Competitivo, sabe que esse é um perfil de um scrub.

Quando vejo tais reclamações e insatisfações a respeito do arquétipo, eu fico realmente sem entender. Talvez porque boa parte não tem o trabalho de analisar os números a fundo e encontrar os padrões que tentamos mostrar com mais clareza nos artigos do Metanalysis como este. Olhando os números, claramente vemos uma concentração dos resultados em poucos jogadores. No geral, são sempre os mesmos acima. Algumas vezes um aparece mais que o outro, ou um acaba não aparecendo em um mês específico, mas no geral são sempre esses. 

O que aconteceria então se retirássemos do metagame os resultados destes jogadores em específico? O mesmo pode ser visto na tabela acima, na linha “No Best 7”. Olhando bem, retirando os resultados desses jogadores, vemos não só uma queda de quase metade na quantidade do arquétipo presente no mês, como uma considerável queda de quase 8% no percentual de vitória.

Claro que, se considerarmos que esses jogadores estariam presentes nos eventos mesmo que não escolhessem o arquétipo Tron, esse número de 46% poderia sofrer algumas distorções. Mas, se extrapolarmos esse valor para uma consideração otimista de 50% de percentual de vitória, ainda é um número bem normal e até bem pior que outros arquétipos muito presentes no metagame (considerando, claro, o mês de julho como base de análise). Significaria, basicamente, que o Tron ganharia um a cada dois jogos, ou que teria uma chance igual a um lance de moeda de ganhar um jogo, o que não é nada alarmante, concorda?

Então, quando encontrarem um jogador que clama por mais banimentos no Tron, acusando o arquétipo de ser injusto ou muito forte para o metagame, mostre esses números. Talvez ele mude de idéia.

Ficou claro então que boa parte dos resultados do Tron são mais embasados pelos resultados de alguns jogadores, do que pela sua qualidade em si. Talvez os jogadores é que precisem de mais treino e mais engajamento para melhorar as suas habilidades e conseguirem resultados mais relevantes. E talvez, apenas talvez, o Tron nunca tenha sido um problema no metagame.


Spotlights de Julho

O primeiro spotlight de julho vai para, claro, o banimento ocorrido no dia 13! Na tentativa de diminuir a popularidade do Tron e abalar a sua consistência, a Wizards of the Coast determinou que Expedition Map não poderia mais ser utilizado no formato. Além disso, com o intuito de reduzir jogadas recursivas nos midranges azuis, também foi determinado o banimento de Mystic Sanctuary. Ambos os banimentos balançaram um pouco o formato, mexeram no metagame e forçaram os jogadores a reinventarem suas listas. Claro que, como sempre, o banimento não agradou a todos. Mas, convenhamos, nenhum banimento vai agradar a todos! (haha)

Palace Sentinels | Palace Sentinels - Magic: the Gathering MTG

O segundo spotlight de julho vai para o arquétipo Monarch Tron! O mesmo já vinha mostrando as caras no mês passado com alguns poucos, porém bons resultados. Neste mês, mesmo após os banimentos, o arquétipo continuou mostrando potencial, principalmente nas mãos do jogador Mathonical que, aparentemente, vem jogando majoritariamente com ele. Fica uma ressalva apenas para o nome do arquétipo. Apesar de chamar-se “Monarch”, a maioria das listas já não utilizam Palace Sentinels como antes. Um nome como UW Tron seria mais conveniente?

Oubliette · Double Masters (2XM) #100 · Scryfall Magic: The ...

O terceiro e último spotlight, mas não menos importante, vai para a carta Oubliette. Finalmente, ela receberá uma reimpressão na edição Double Masters, a ser lançada no próximo mês! A carta teve o seu spoiler vazado na semana passada, mas a confirmação veio só nessa semana. Depois de muitos choros, pedidos e reclamações, a Wizards of the Coast finalmente ouviu a comunidade e trouxe de volta essa relíquia que quase não existia mais no mercado secundário. Deram também uma nova roupagem para o texto da carta, que agora passa a contar com o efeito de “Phase Out” para o seu alvo. Muitas outras cartas boas para o formato estão prometidas para o lançamento de Double Masters, mas nenhuma será tão icônica como essa!


Expectativas para Agosto de 2020

metanalysis-julho-tendencia-tron

Apesar da manutenção em presença que foi observada no início do mês, o Tron já mostra uma forte tendência de queda para as próximas semanas. Talvez tenhamos cerca de dois eventos com Trons mais em baixa.

metanalysis-julho-tendencia-Stompy

Em contrapartida, o Stompy, honrado a cadeira dos aggros, mostra uma tendência de subida para a próxima semana. Arquétipos aggro normalmente não ficam muito tempo em alta, então, estimo que essa subida pode durar mais um ou dois eventos apenas. Na onda do Stompy, arquétipos como o GW Auras e o MonoW Heroic podem também voltar a aparecer. 

Normalmente Tron e Stompy tendem a apresentar um comportamento similar em presença. Quando um sobe em presença, o outro tende a aparecer mais também. Porém, como pode ser visto abaixo, no fim do mês houve uma “cruzada” nas linhas de comportamento desses dois arquétipos, o que justifica a tendência de subida para um, e a tendência de queda para outro.

metanalysis-julho-tendencia-tronxstompy
metanalysis-julho-tendencia-urskred

Outro arquétipo que mostra comportamento de queda é o UR Skred. O mesmo vale para o UB Next Level Drops, que apesar de mais suave, também apresenta estimativa de queda para as próximas semanas.

metanalysis-julho-tendencia-monou

O MonoU Delver apresenta também uma possível subida para as próximas semanas. Contudo, visto o metagame dos últimos dois eventos do mês, creio que não há muito espaço para esse arquétipo que, caso realmente suba conforme a curva de tendência aponta, não deverá fazer bons resultados. Parte disso deve-se a tendência do arquétipo Boros Monarch.

metanalysis-julho-tendencia-boros

O Boros Monarch surpreendeu mostrando uma tendência de subida maior que qualquer outro arquétipo do metagame. É provável que os jogadores tenham notado aquilo que comentei já algumas vezes nos meus artigos. O Boros Monarch é um arquétipo muito forte, com bastante recurso, e com um sideboard de dar inveja a qualquer midrange. 

Com a queda nos midranges azuis e subida nos aggros mais rápidos, o Boros Monarch deve conseguir ganhar destaque novamente. Podemos esperar bons resultados para esse arquétipo nas próximas semanas, pelo menos em presença.

Vale ressaltar que no próximo mês temos o lançamento de Double Masters. Pode ser que alguma das cartas da edição gere novas perturbações no metagame e voltemos ao período de selvas.


Conclusão

E aí, concorda com as análises? Deixem seus comentários aqui, no Facebook ou no Instagram!

Enfim é isso, o mês de julho foi marcado por três breakpoints e uma possível tendência de um metagame mais centrado em aggros e Boros Monarch para agosto! Todas as listas citadas estão nos links postados semanalmente na nossa página no Facebook e no nosso perfil no Instagram! Temos também um LinkBio atualizado semanalmente com os principais links postados nas nossas redes e nos nossos artigos. Comente com os amigos pois a sua propaganda é sem dúvida de suma importância para continuarmos trazendo artigos cada vez melhores para vocês!

Nos vemos no próximo artigo!

Até breve!


Fontes

[1] Dados retirados do Challenge Project.


Álvaro França

Formado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal Fluminense, trabalha como cientista de dados no mercado de energia e joga Magic:The Gathering desde 1998, com ênfase no formato Pauper desde 2009. Aventurou-se em vários card games e demais jogos de estratégia durante a vida e acumulou largo conhecimento na teoria e prática desse tipo de jogo.

3 comentários

Pedro Henrique Godoi Silva · agosto 2, 2020 às 11:16

Excelente trabalho!

Metanalysis S01E07 - Agosto de 2020 - Mind Gears · setembro 6, 2020 às 03:11

[…] mês de julho, vimos o Tron brigar pelas melhores colocações com os aggros do formato na primeira quinzena do […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *