Metanalysis S01E10 – Novembro de 2020

Publicado por Álvaro França em

Metanalysis S01E10

Saudações jogadores!

Trazemos para vocês mais uma vez o Metanalysis! A nossa análise mensal do metagame dos eventos do Magic Online! Vamos analisar os dados do mês de novembro e observar o desempenho dos arquétipos que apareceram neste mês!


Relembrando…

No mês de outubro vimos uma disputa constante e acirrada entre aggros e Trons pelas melhores colocações. Iniciamos com arquétipos como Burn, Affinity e Elves alcançando boas colocações e ditando o meta, o que abriu brechas para que, no meio do mês, o Tron retornasse com mais forças. Ao final, houve um retorno dos aggros ao metagame, abrindo novas oportunidades para que os Trons pudessem retornar. Finalizamos o Metanalysis do mês passado estimando que, além do retorno dos Trons, os midranges azuis poderiam ter mais espaço, deixando os aggros em baixa pelo menos no início do mês. Contudo, comentamos ainda que, com o lançamento de Commander Legends em novembro, era bem provável que o metagame se remodelasse através das novas cartas e que assim as nossas previsões não se confirmassem no longo prazo. 

Vamos agora analisar os movimentos sofridos pelo metagame no mês de novembro, os impactos de Commander Legends, e observar até que ponto nossas previsões foram assertivas!


Novembro de 2020

Vamos começar analisando os números de fechamento do mês de novembro. Tivemos um total de 9 Challenges, 473 inscritos e 1405 jogos realizados!

NOTA: Devido a uma falha na captação dos dados, os resultados do evento do dia 22/11/2020 foram analisados considerando-se apenas o Top 32 do evento.

metanalysis-s01e10-table
metanalysis-s01e10-graf-qtd
metanalysis-s01e10-graf-%w

Metagame por quantidades – Dados provenientes do Challenge Project [1]

Iniciando pela análise dos arquétipos por quantidade, podemos observar no top 10 que o Tron foi novamente o arquétipo mais presente no mês. A diferença para o segundo lugar, o Boros Bully, foi maior do que a do mês anterior, apesar de ainda bem próxima. Empatado em terceiro lugar com o Boros Bully está o UB Faeries, que também apresentou uma diferença bem pequena para o quarto lugar, GW Auras. O Burn, que no mês passado foi o segundo arquétipo mais presente do metagame, caiu em posição e ocupou apenas o 7º lugar, deixando de vez o seu papel de fiscal do metagame. Isso também deve-se parcialmente ao lançamento de Commander Legends, que trouxe novas cartas ao formato como Fiery Cannonade e, principalmente, Fall From Favor. Comentaremos mais a respeito dos impactos da edição adiante.

Palace Sentinels | Sentinelas do Palácio - Magic: the Gathering MTG

Analisando agora do ponto de vista do top 10 em percentual de vitórias, o Boros Monarch foi o arquétipo com o melhor desempenho do mês, depois de um longo período sem resultados muito expressivos. Parte disso, também, deve-se às novas cartas que entraram no formato neste mês.

O segundo lugar, claro, foi o Tron, com um aproveitamento bem próximo ao do Boros Monarch, apesar da discrepância em quantidade. Em terceiro e quarto lugar, respectivamente, vemos dois aggros, o Boros Bully e o Stompy. 

Os demais arquétipos tiveram aproveitamento bem similar, e o UB Faeries que, até então, era o queridinho dos jogadores, teve um aproveitamento igual ao do mês anterior, com uma quantidade menor do que a que foi observada em outubro. Temos ainda o MonoG Walls Combo, que tem caído em presença mas mantém resultados medianos, e um arquétipo relativamente novo, que chamamos aqui de The Rock. O nome é uma referência a um antigo arquétipo que, assim como esse, usava uma construção midrange, com estratégias complementares entre as cores verde e preta. Tanto estes quanto o UR Tron tiveram quantidades muito pequenas e, por isso, não possuem grande confiabilidade analítica em seus resultados.

No geral, o metagame do mês de novembro foi o que chamamos de selva. O início foi bem influenciado pelos resultados do mês anterior, mas assim que Commander Legends tornou-se legal no Magic Online em 19 de novembro, o metagame voltou a um estado de confusão. Falaremos mais a respeito adiante!


Primeira Quinzena de Novembro

Tentarei ser breve nessa primeira parte pois acredito que o lançamento de Commander Legends impactou consideravelmente o metagame do formato. Assim, podemos esperar no futuro um metagame mais similar ao que veremos na segunda quinzena do mês.

A primeira quinzena de novembro foi marcada mais pela presença dos Trons, de alguns aggros e a retomada de midranges azuis. Até então, dentro das nossas previsões. Os Trons estiveram presentes durante toda a quinzena em quantidades razoáveis, sendo o arquétipo mais presente em todos os eventos desta metade do mês. mas dividiu boas colocações com outros arquétipos. 

Delver of Secrets | Investigador de Segredos - Magic: the Gathering MTG

No primeiro evento do mês vimos uma forte incidência de UB Next Level Drops e Boros Monarch. Este último chegou a ocupar três posições do top 8. Já o UB não conseguiu ir tão longe e não chegou nem aos 16 melhores, perdendo para arquétipos como Boros Bully, Burn e até mesmo o Tron, que foi campeão do evento. 

Na semana seguinte tivemos mais um Tron como campeão no sábado, e um UW Familiars no domingo. No primeiro evento tivemos uma presença maior de midranges como UB Next Level Drops, Rakdos Midrange e UB Faeries ocupando posições no top 8. Este último foi também o segundo arquétipo mais presente no evento, seguido do Elves que, apesar de não ter tido boas colocações nesse evento, compareceu em maior peso, provavelmente influenciado pela segunda posição do top 8 que ocupou no evento da semana anterior.

O segundo lugar ficou com o brasileiro Hamuda, pilotando um UB Next Level Drops, seguido de um UW Familiars em terceiro lugar. O Familiars é sempre comentado em nossos artigos como sendo um arquétipo de grande potencial. Apesar da sua complicada jogabilidade, seu desempenho é quase sempre favorável. Principalmente quando pilotado por bons jogadores como o saidin.raken, que hoje é o melhor jogador do arquétipo, com um dos maiores percentuais de vitória neste ano.

Battle Screech - Modern Horizons MtG Art | Mtg art, Magic art, Art

No evento seguinte, dia 8, tivemos um metagame um pouco mais aggro, com listas mais lineares e mais explosivas. Este foi um movimento típico, reflexo de um metagame mais direcionado a midranges no evento anterior. Tivemos Burn, GW Auras e até Boros Bully nas melhores colocações. Este último, como pode ser visto nos gráficos anteriores, teve boa presença no metagame deste mês. Comentaremos mais sobre isso adiante.

Apesar da forte presença dos aggros, o campeão do evento foi um UW Familiars, deixando o segundo lugar para o Tron, pilotado pelo mlovbo. Este, hoje, é o jogador com melhor desempenho com o arquétipo nos eventos do Magic Online.

Na semana seguinte, é possível notar uma nova mudança no metagame. Com Trons aparecendo em grande número e os aggros se revezando nas melhores posições, alguns midranges azuis voltaram a aparecer. Parece contra-intuitivo o aumento de midranges azuis em um meta com aggros mais lineares. Porém, a presença do Boros Bully tem um boa influência nessa decisão e, claro, os resultados dos Trons também.

Skred | Miniavalanche - Magic: the Gathering MTG

O primeiro evento teve como campeão um UR Skred, seguido de um Tron na segunda posição. Tivemos ainda um UB Faeries pilotado pelo TopGrinder em terceiro e um UB Next Level Drops em sexto. Novamente, as demais posições foram preenchidas por aggros. Um Elves reaparecendo e aproveitando os últimos momentos sem Fiery Cannonade no formato, um Boros Bully, um GW Auras e um Affinity. O UR Skred e o UB Faeries foram, respectivamente, o terceiro e quarto arquétipos mais presentes no evento, perdendo apenas para o Rakdos Midrange em segundo. Este último foi comentado em artigos passados como tendo potencial e ferramentas para ser um bom arquétipo nesse metagame. Mas, apesar das boas quantidades, não apresentou resultados relevantes neste mês.

No evento seguinte, dia 15, tivemos como campeão o Boros Bully, que também ocupou a sétima posição. Este é um arquétipo que já comentamos a respeito de seu potencial em artigos passados. Também ocupou posições de importância no metagame em meses anteriores. Era esperado também que seu aproveitamento caísse bastante quando Fiery Cannonade entrasse no metagame, mas nem tudo que espera-se, acontece, e veremos isso adiante!

O segundo lugar foi um UB Faeries, pilotado novamente pelo TopGrinder, seguido de um GW Auras pilotado pelo brasileiro Liv_One. Tivemos também o já citado The Rock, pilotado pelo jogador chocotone, que alcançou o sexto lugar no evento e inaugurou os resultados deste arquétipo. No geral, um evento também fortemente direcionado a aggros e com bons jogos de midranges azuis.

Vale lembrar que, como todos os demais eventos desta quinzena, o Tron foi o arquétipo mais presente. Também ocupou duas das oito posições do top 8, sempre nas mãos de jogadores historicamente qualificados como o kasa e o SanPop.

No geral, a primeira quinzena do mês foi bastante influenciada pela presença de aggros no geral, o que vai contra uma das nossas previsões para este mês. Apesar disso, tivemos ainda uma forte incidência de Trons e midranges azuis, o que é intuitivo e concordante com nossas previsões. 

Então, no dia 19, tivemos o lançamento oficial de Commander Legends e a entrada de novas cartas no formato Pauper. Vamos ver agora como isso influenciou o metagame da segunda quinzena do mês.


Segunda Quinzena de Novembro

Já no primeiro evento da primeira quinzena, podemos ver uma clara diferença para os eventos anteriores. O Tron agora perde o posto de mais presente no evento para o GW Auras, arquétipo que raramente consegue uma presença tão marcante. O segundo lugar ficou com o UR Skred, e apenas no terceiro lugar em presença vemos o Tron. Como o esperado, o campeão do evento foi um GW Auras, deixando o segundo lugar para um Boros Monarch, que também ocupou a terceira posição. Apesar disso, tivemos ainda dois Trons na quinta e sétima colocação, pilotados, respectivamente, pelo kasa e pelo mlovbo. Vale ressaltar ainda a presença de um Boros Bully na sexta posição, mostrando que Fiery Cannonade não os coloca medo!

Slippery Bogle - there is no one like him | Art, Deviantart, Weird and  wonderful

Acredito que, neste caso, a mudança brusca na escolha dos jogadores se deu mais pela expectativa e especulação a respeito da forma que o novo metagame poderia tomar, do que pelas novas cartas em si. As ligas da semana também podem ter influenciado nisso, uma vez que vários jogadores que participam do Challenge também jogam ligas constantemente. No geral, vimos poucas cópias de cartas novas, e não tivemos nenhum novo arquétipo presente.

O mesmo ocorreu no evento seguinte, dia 22. Poucas cópias de novas cartas apareceram e o Boros Bully surgiu em alta como o arquétipo mais presente do evento, ocupando também duas posições no top 8 (terceiro e oitavo). O Tron foi o segundo arquétipo mais presente, campeão do evento nas mãos do já citado mlovbo, e detentor de outras duas posições no top 8.

No geral, variantes Boros e aggros parecem disputar mais das melhores posições com o Tron do que os midranges azuis. O que é intuitivo, já que a quantidade destes arquétipos, somados, é muito superior à quantidade de Trons, e ainda possuem jogos muito justos contra midranges azuis, caso apareçam. O Boros Bully em especial ganhou notoriedade nesta semana, principalmente pelo fato de que Fiery Cannonade apareceu em pouquíssimas listas, bem como as remoções em massa mais clássicas como Electrickery. Todos estavam na expectativa de que midranges azuis com a nova carta Fall from Favor aparecesse aos montes, e dessa forma, remoções globais ficaram em segundo plano.

Atog | Atogue - Magic: the Gathering MTG

Mas na semana seguinte, as coisas mudaram mais uma vez. Os jogadores notaram o direcionamento aggro que o metagame seguia e passaram a adotar outras estratégias. Em ambos os eventos, nos dias 28 e 29, o brasileiro Hamuda foi campeão com a mesma lista de Jeskai Affinity. O arquétipo parece muito com um Boros em sua estrutura, com a diferença de que o combo Atog+Fling está presente, e Fall from Favor passa a exercer o papel de Palace Sentinels e ganhar os holofotes, principalmente na presença de Kor Skyfisher. Eu particularmente testei a lista posteriormente e achei surpreendentemente forte. Claro que, como todo Affinity, o arquétipo sofrerá caso um Gorilla Shaman consiga entrar em jogo. Mas sua característica explosiva ainda dá boas chances de vitória para o seu piloto.

Os dois eventos de fim de mês mostraram muito de como o metagame voltou a um ponto de instabilidade e novos testes. No dia 28 tivemos um UB Control, similar a um UB Teachings, fazendo top 8. Tivemos ainda dois Trons, um UR Skred, um UB Next Level Drops e um MonoU Delver, estes últimos usando também a carta Fall from Favor

O arquétipo mais presente do evento foi o Tron, seguido do Affinity que há muito também não apresentava presença tão marcante. 

Fall from Favor | Cair em Desgraça - Magic: the Gathering MTG

No dia seguinte vemos novamente um metagame mais direcionado a midranges, com um MonoU Delver em segundo, um Boros Monarch em terceiro, e mais um Boros Monarch em quinto lugar. Este último tinha em sua composição principal, ainda, duas cópias de Fall from Favor, aproveitando a versatilidade em se gerar manas de qualquer cor que o Boros possui. A carta realmente começou a ganhar espaço e já demonstrou que pode ser empregada em diversos arquétipos diferentes.

 Tivemos também novamente o GW Auras aparecendo em quarto lugar, e sendo também o arquétipo mais presente do evento. Essa também é uma resposta intuitiva a quantidade de midranges que começaram a surgir, abrindo espaço para esse tipo de aggro mais linear.

Para fechar o top 8, tivemos duas cópias do, sempre presente, Tron, e um BW Pestilence, que parece ser uma boa escolha em metagames mais aggro ou mais focados em midranges azuis.

Arcum's Astrolabe Banned in Pauper - Hipsters of the Coast : Hipsters of  the Coast

Assim, vimos vários comportamentos diferentes do metagame na segunda quinzena, deixando claro que ainda está se adaptando às mudanças recentes. A carta Fall from Favor com certeza mostrou um belo impacto, erguendo arquétipos em baixa e forçando o metagame a se remodelar para lidar com a mesma. Esse talvez possa ser um problema a ser lidado em breve. Normalmente, a Wizards of the Coast não julga saudável um metagame em que uma carta pode ser empregada em praticamente todos os arquétipos com pouco a perder.

No geral, isso pode acarretar em um metagame homogeneizado demais, com arquétipos muito similares e estratégias girando sempre em torno das mesmas cartas, como foi no caso de Arcum’s Astrolabe. Como o próprio Gavin disse em um AmA realizado no reddit [2] no mês passado, é sabido que uma carta que confere monarca, na cor azul, e com CMC 3 (o menor entre os monarcas do formato) é demasiadamente forte para o formato, e que, caso gere problemas, será corrigida em um futuro breve (muito provavelmente com um banimento).

Para finalizar, vamos as taxas de conversão deste mês!

metanalysis-s01e10-%top

O arquétipo com maior aproveitamento em top 8s no mês de novembro foi o Boros Monarch, com uma conversão de 34% dos 29 decks inscritos nos eventos. E de fato, o arquétipo tem se saído bem. Como sempre digo, o Boros não pode ser subestimado! O arquétipo simplesmente tem jogos balanceados contra a maior parte dos outros arquétipos do metagame, e possui duas das cores mais fortes em questões de sideboard no formato. Em contrapartida, falta um expoente para que o arquétipo consiga ter um melhor aproveitamento em top 1s.

Como de costume, o Tron foi o arquétipo com a maior taxa de conversão em top 1s do mês, e a segunda maior em top 8s. De fato, o arquétipo mostra-se cada vez mais presente, mas talvez necessidade em se remodelar listas e sideboards para lidar com Fall from Favor (como Pyroblasts e Red Elemental Blasts) acabe “respingando” no Tron e colocando-o em posições menos vantajosas no próximo mês.

Por fim, o arquétipo do nosso top 10 em presença com pior aproveitamento foi o UB Faeries, que até a alguns meses atrás era um dos mais adorados pelos jogadores.


Diferenças entre Outubro e Novembro

metanalysis-s01e10-comp

Analisando as diferenças entre o mês de outubro e o de novembro, vemos poucas mudanças realmente drásticas. A primeira delas é o Afifnity, que com um crescimento marginal em presença com relação ao mês anterior, conseguiu um aumento em performance de 14%. Isso, claro, deve-se muito ao fato de que Fall from Favor agora é uma opção válida para o arquétipo, e que boa parte do mês foi regida por outros aggros e Trons. 

A segunda mudança relevante pode ser vista no Boros Monarch, que apesar de em menor presença percentual, teve também um acréscimo de 11% em sua performance. Aqui, a justificativa é bem similar a do Affinity. Um metagame mais aggro e a entrada de Fall from Favor e Fiery Cannonade ajudou um pouco nessa melhora de performance.

Por último, vemos o Boros Bully, que assim como o Boros Monarch, apresentou queda em presença mas um aumento em performance. Este é um arquétipo que todos esperavam que fosse cair em presença com a entrada de Fiery Cannonade, mas que acabou surpreendendo contra a boa quantidade de midranges azuis que vem aparecendo. É possível que no próximo mês tenhamos uma notoriedade ainda mais relevante para esse arquétipo, uma vez que já está aparecendo nas ligas do Magic Online uma variação de Boros Bully que utiliza quatro cópias de Pyroblast de main deck, e mais quatro cópias de Red Elemental Blast de sideboard, visando ter jogos mais equilibrados contra a boa quantidade de Fall from Favor (FFF) que vem aparecendo.

Vejamos agora as previsões para o próximo mês!


Previsões para Dezembro

metanalysis-s01e10-graf-tron
metanalysis-s01e10-graf-bully
metanalysis-s01e10-graf-affinity

Neste mês em especial é difícil ser assertivo nas previsões, mas vamos aos principais fatos.

1- Fall from Favor está presente, e bem presente. Os jogadores têm conhecimento disso e estão se preparando;

2- Tron vem apresentando uma presença quase que linear nos eventos e não possui motivos claros para deixar de aparecer;

3- MonoU Delver começou a criar força no fim do mês com listas utilizando FFF e algumas sem a presença de Delver;

4- Boros Monarch e Boros Bully são arquétipos fortes nesse metagame, principalmente pelo acesso ao vermelho que garante o uso de Gorilla Shaman e Pyroblast;

5- Aggros acabam tendo vantagem na presença em demasia de midranges azuis.

Assim, acredito que o metagame deve variar entre Trons e aggros, e midranges e aggros. Digo isso pois o Tron vem mantendo presença quase que constante, mesmo nos eventos em que os midranges azuis aparecem com maior peso. De forma análoga, os aggros servem como fiscal do metagame e não deixam que os midranges dominem os eventos. Dessa forma, na presença de midranges azuis e de listas que abusam de FFF, aggros tendem a aparecer com mais força, o que dá espaço para que Trons e variantes Boros retornem, que por sua vez dá espaço para a volta de midranges azuis. Podemos esperar então essa alternância, pelo menos nas primeiras semanas do mês de dezembro.

Analisando os gráficos, vemos que nas primeiras semanas poderemos ter Trons em presença similar a dos eventos anteriores e queda na presença do Boros Bully, o que possibilita a retomada de midranges azuis, e talvez Affinitys e aggros mais lineares como o GW Auras, que marcou presença em novembro.


Conclusões

Welcome to the jungle! Voltamos ao período de selva e FFF parece estar causando problemas! Concordam com nossas análises? Discordam? Deixem aqui seus comentários que ficaremos felizes em responder!

Todas as listas citadas estão nos links postados semanalmente na nossa página no Facebook, no nosso perfil no Instagram e no nosso perfil no twitter! Temos também um LinkBio atualizado semanalmente com os principais links postados nas nossas redes e nos nossos artigos. Comente com os amigos pois a sua propaganda é sem dúvida de suma importância para continuarmos trazendo artigos cada vez melhores para vocês!

Nos vemos no próximo artigo!

Até breve!


Fontes

[1] Dados retirados do Challenge Project.

[2] /r/Pauper – Gavin AmA – https://www.reddit.com/r/Pauper/comments/jmwrhz/lets_bring_gavin_verhey_for_an_ama/


Álvaro França

Formado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal Fluminense, trabalha como cientista de dados no mercado de energia e joga Magic:The Gathering desde 1998, com ênfase no formato Pauper desde 2009. Aventurou-se em vários card games e demais jogos de estratégia durante a vida e acumulou largo conhecimento na teoria e prática desse tipo de jogo.

1 comentário

Metanalysis S01E11 - Dezembro de 2020 - Mind Gears · janeiro 7, 2021 às 03:15

[…] mês de novembro vimos, de início, um  aumento no número de Trons e uma retomada de midranges azuis, disputando […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *